Assessor de investimento: atribuições e importância deste profissional

Entenda o que faz um assessor de investimentos e quais as possibilidades de atuação desta profissão que ganha cada vez mais destaque no mercado.

Não é somente o número de investidores que tem crescido nos últimos anos, uma das profissões mais promissoras também vem ganhando destaque: a de assessor de investimento. Esse tipo de profissional é fundamental para o sucesso de investidores que buscam caminhos para crescer no mercado financeiro.

Só para você ter uma ideia, o Brasil teve mais de 17 mil profissionais atuantes em território nacional. 

Foi o que mostrou  o Anuário de 2021 da Associação Nacional das Corretoras de Valores (Ancord). É o triplo de quatro anos atrás, quando o número era de 5,5 mil.

Em 2022, a previsão de especialistas é que o anuário revele um número ainda maior. Isso se deve, sobretudo, a uma série de mudanças positivas na legislação que rege o exercício da atividade — sobre as quais falaremos com mais detalhes a seguir.

Ficou curioso sobre o assunto? Neste artigo, vamos explicar a função e como se tornar um assessor de investimentos qualificado. Continue com a gente.

Boa leitura!

Afinal, o que faz um assessor de investimentos?

Dentro do mercado financeiro, o assessor de investimentos atua como um intermediário na relação entre os investidores e os analistas de investimentos das corretoras.

Para exercerem a respectiva função,  eles são autorizados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Assim, são responsáveis por:

  • prospectar clientes;
  • apresentar e fornecer orientações sobre o mercado financeiro aos investidores;
  • receber ordens de compra e venda e, na sequência, transmiti-las aos sistemas de negociação nas corretoras;
  • esclarecer as dúvidas que as pessoas podem ter em relação ao assunto.

O que isso quer dizer?

Que, por exemplo, se um investidor deseja saber mais sobre investimentos em renda variável e renda fixa, esse agente autônomo apresenta e explica como funcionam os produtos disponibilizados pela corretora.

Em suma, o assessor de investimentos é  o profissional que ajuda potenciais investidores a direcionar melhor os seus aportes.

Como ser assessor de investimentos?

A profissão exige das pessoas que almejam esse cargo muitas qualidades, como:

  • competência técnica;
  • ótimo relacionamento interpessoal;
  • habilidade comercial;
  • alta autodisciplina;
  • foco e intensidade.

Só que a lista não para por aí, porque, por exemplo, dentro do conhecimento técnico (ou competência técnica), o assessor precisa estudar três pilares de investimentos:

Logo, o assessor de investimento deve transmitir toda bagagem, experiência e conhecimento adquiridos de maneira acessível para o potencial investidor. 

< Leia mais sobre como se tornar um assessor de investimentos! />

Assessor autônomo de investimentos: como atua o profissional?

A assessoria de investimentos pode ser uma carreira atrelada a um contrato fixo de prestação de serviços exclusiva. Neste caso, o profissional fica vinculado a uma empresa ou instituição financeira.

Entretanto, a maioria dos profissionais da área opta por trabalhar de forma autônoma. Assim, tem  a oportunidade de prestar assessoria a diversos investidores, cobrando uma comissão sobre os produtos financeiros indicados. 

Qual o salário do assessor de investimentos?

Mas, afinal, em um cenário diverso como o que mostramos acima, em que um assessor pode trabalhar com ou sem vínculo empregatício, como fica a questão salarial?

Se você quer saber quanto ganha um assessor de investimentos, aqui estão as previsões.

De acordo com o portal Glassdoor, a média salarial de um profissional da área em outubro de 2022 é de R$5.200, podendo flutuar de acordo com o nível hierárquico da posição e a empresa contratante.

Já no caso do AAI (Assessor Autônomo de Investimentos), a receita média anual pode variar entre 0,6% e 1,5% da quantia total captada. 

Tendo esse dado em mente, podemos estimar que um assessor cujo cliente captado investe R$ 2 milhões em sua carteira, pode ter como remuneração anual um valor de até R$ 30 mil.

A importância do assessor de investimentos

Como não prestar atenção em uma profissão que mostra as melhores alternativas de investimento conectadas com o perfil de cada pessoa, não é mesmo?

Faz parte do papel do assessor de investimentos trabalhar com o cliente no centro, fazendo um diagnóstico bem detalhado para oferecer  as melhores soluções e sugestões ao investidor.

Isso significa que, em vez de atuar como aquele profissional do banco, motivado em vender determinados produtos de interesse do próprio banco, esse agente autônomo se foca  no que faz a diferença para o cliente, diante de uma visão holística.

< Ainda não conhece os diferentes perfis de investidor? Entenda como funciona a segmentação! /> 

Por que a profissão está em ascensão?

Nos últimos tempos, as mudanças econômicas vêm deixando os investidores descontentes com suas aplicações, principalmente com aquelas que sofrem oscilações frequentes, o que, em muitos casos, dificulta a tomada de decisões.

Nesse sentido, os assessores de investimentos representam um apoio para abrir os horizontes de quem já conhece o sistema, como para iniciantes no assunto.  

Como pontuamos na introdução do artigo, em 2021, mais de 17 mil profissionais atuaram como assessores de investimento. O número é três vezes maior do que o registrado em 2018.

A contínua alta no número de profissionais aponta uma tendência: se há uma quantidade bastante considerável de especialistas, do outro lado existe um público à espera.

Novas regras para ser um assessor de investimento

Com o mercado em expansão no Brasil, a CVM repensou algumas normas exigidas desde a sua regulamentação em 2011. Agora, a ideia é propor flexibilização devido à dinâmica e ao crescimento dos escritórios de assessores de investimento.

Diante disso, quatro pontos estão em destaque na proposta:

  • Pessoa física e corretoras – término do regime de exclusividade entre agentes autônomos e corretoras;
  • Sociedade – possibilidade de sociedade com pessoas que não sejam assessoras de investimento;
  • Compliance – adoção de regras de controle pelos agentes que aderirem ao fim da exclusividade e à sociedade empresária;
  • Remuneração — a expectativa é de que o modelo de remuneração aplicado seja mais transparente, incluindo a divulgação salarial de todos os players da cadeia, não apenas do AAI.

Qual é a especialização para ser um assessor de investimentos?

Vimos ao longo deste artigo o que faz um assessor de investimentos e quais as principais características da profissão. Mas, além de força de vontade e disciplina, por exemplo, um profissional deve conhecer a fundo o mercado de investimentos.

E nisso, a XP Educação pode ajudar você!

Para acompanhar o seu assessor de investimentos e entender o que se passa neste mundo, nada melhor do que ampliar seus conhecimentos. 

Avaliar o sobe e desce das ações, estar por dentro das palavras técnicas e projetar uma carteira de investimentos ideal é uma boa tarefa de quem deseja aumentar a rentabilidade. 

Pensando nisso, indicamos o MBA completo em Assessoria de investimentos.

Na Escola de Assessoria de Investimentos, você tem um panorama sobre o mercado em geral, proporcionando ao aluno uma experiência prática para selecionar os papéis adequados ao seu perfil de investidor. 

Com professores que são destaque no mercado financeiro, o MBA tem duração de 8 meses e um cronograma atual e dinâmico, com mais de 450 horas de aprendizado imersivo. 

Além da certificação de conclusão do seu MBA, você ainda tem acesso a simulados e preparatórios para obtenção de certificados necessários para atuar no mercado financeiro, como a ANCORD.

Módulos do curso

O MBA em Assessoria de Investimentos é composto por 3 blocos com diferentes formatos. O primeiro deles é o Bootcamp: Capacitação técnica – Agente Autônomo de Investimentos, com 144 horas-aula e módulos voltados para: 

  • carreira de assessor, cenário macroeconômico e matemática financeira;
  • clubes de investimento, Fundos de investimentos, Seguro e Previdência;
  • Renda Fixa, Renda Variável;
  • Derivativos, Operações estruturadas;
  • Desafio Final – capacitação técnica;

Já o segundo, o Bootcamp: Capacitação Comercial – Agente Autônomo de Investimentos, também tem 144 horas de duração e módulos sobre: 

  • oratória, marketing pessoal e personal branding – Social Selling
  • liderança e performance
  • sucessão patrimonial
  • produtos e serviços XP Investimentos

Por fim, o aluno participa de um Desafio Final em Assessoria de Investimentos para colocar em prática os conhecimentos adquiridos ao longo do MBA.

Esta é a sua oportunidade de entrar no mercado com a chancela da XP! Inscreva-se agora mesmo e prepare-se para exercer a profissão do futuro!

spot_img

Continue Aprendendo

spot_img