Trabalhar no mercado financeiro: o que é necessário?

No post de semana passada, mostramos por que trabalhar no mercado financeiro é uma boa escolha.

Hoje, damos sequência, indo um pouco além, e revelaremos o que é necessário para trabalhar no mercado financeiro.

Por isso, dividimos o conteúdo da seguinte forma:

  • Qual curso escolher para formação;
  • Certificações geralmente exigidas;
  • Características fundamentais.

 

Qual curso escolher para formação

Estudar em uma boa universidade também é fator fundamental para aumentar as chances de entrar nesse mercado.

Quem se forma em instituições como a USP, PUC-Rio, FGV e Insper, costuma largar na frente.

Obviamente, o curso deve estar em sintonia com os conhecimentos exigidos no mercado financeiro.

Quem pretende trabalhar nessa área, costuma escolher os cursos de engenharia, economia, contabilidade ou administração.

Isso porque o conhecimento teórico desses cursos é mais relacionado com o que é abordado na rotina diária do mundo das finanças.

Por exemplo, a economia é altamente relacionada com o mercado financeiro.

Mas também é possível trabalhar no mercado financeiro com outras graduações.

O que mais importa é a especialização relacionada à área que a pessoa escolhe após a universidade.

>> Leia também: Consultor de Investimentos: saiba como ser um consultor CVM

Certificações geralmente exigidas

Adquirir certificações é um bom caminho para quem está querendo começar a trabalhar com mercado financeiro.

Muitas vezes, elas são um pré-requisito para determinados cargos, como analista ou assessor independente.

As certificações geralmente são emitidas pela Anbima, Apimec ou CFA, cada uma com seu propósito, como para:

  • Analista;
  • Consultor de investimentos;
  • Gestor de carteiras;
  • Trabalho com segmento de alta renda.

Dentre as certificações, a mais prestigiada é a Chartered Financial Analyst (CFA), por ser a difícil e exigir muito estudo e preparação dos candidatos.

Quem quer começar, geralmente tira CPA-20 e CEA, ambas da Anbima.

Por sinal, a CPA-20 é focada em distribuição de produtos de investimentos para clientes de varejo de alta renda em bancos ou plataformas de atendimento.

A CEA, por outro lado, certifica profissionais que assessoram os gerentes de conta de clientes pessoas físicas em investimentos, podendo indicar produtos.

Essas duas certificações costumam ser pré-requisito para começar no mercado.

Quem quer se tornar analista e indicar investimentos pode tirar a certificação CNPI para análise fundamentalista ou técnica.

Analistas CNPI tendem a encontra emprego com mais facilidade em casas de análise.

Outra certificação, a Ancord, também é um pré-requisito para quem quer trabalhar com consultoria independente de investimentos.

 

Características fundamentais

Gostar do que faz e onde está

Gostar do mercado no qual pretende exercer sua profissão é a principal para todos os profissionais.

Isso se intensifica ainda mais para quem quer trabalhar num com mercado tão exigente e competitivo como o financeiro.

Então, para participar tem de se admirar onde está e os colaboradores oferecer qualidade e pontualidade das entregas.

A rotina também demanda bastante, já que costuma ser intensa por ninguém querer perder oportunidades de negócios.

 

Sempre estudando e se atualizando

Buscar aprender e se renovar também é importante para se manter competitivo neste setor e é em muitas outras áreas.

Principalmente, por se tratar de um mercado bem amplo e, portanto, existem muitos conhecimentos a serem explorados.

Cumprir com esse aspecto, o profissional desenvolve um bom senso analítico e crítico sobre o conteúdo e a informação consumidos no dia a dia.

Aliás, antes de ingressar de vez neste mercado, ao pesquisar e se informar sobre a área, lembre-se de entender o cotidiano das diversas áreas das empresas.

Uma coisa é trabalhar em um banco tradicional, outra é trabalhar em um banco de investimentos, por exemplo.

São culturas diferentes e você deve saber se tem um alinhamento com cada uma delas.

Além disso, é preciso ter ideia que entrar no mercado financeiro não significa, necessariamente, que vai dar dinheiro rápido.

Características fundamentais para trabalhar no mercado financeiro

 

Investir no autoconhecimento

Apostar em se conhecer é sempre benéfico em qualquer situação ou área da vida.

Geralmente, nos traz muito mais informações importantíssimos sobre nossos comportamentos, reações e pensamento, por exemplo.

Quando se fala principalmente de um setor que é imprevisível em vários momentos, ter um bom patamar de autoconhecimento ajuda a lidar com diversas situações.

E não para aí: é essencial se conhecer para saber se a empresa que almeja se encaixa no seu perfil.

Assim, também se torna mais viável conseguir tomar decisões e mudar os rumos da carreira, se for necessário.

 

Ótimo nível de adaptabilidade

Característica tão presente e mencionada no mundo dos investimentos, como o da imprevisibilidade, reflete num aspecto relevante para o profissional desta área: se adaptar fácil e frequentemente.

Estar em um campo que nos mostra diferentes cenários quase a todo exigem bastante do nosso emocional.

Então, possuir um ótimo nível de adaptabilidade diminui a dificuldade de lidar com todos esses cenários.

Dessa forma, independentemente da situação, você consegue sair melhor em estabelecer relações lógicas na maioria das vezes.

Outro ponto que se desenvolve é a habilidade em saber lidar com pressão.

Isso tudo facilita muito mais em você se sentir constantemente motivado por metas traçadas para si.

Botão Quero um MBA de Investimentos e Private Banking

banner graduação da xp educação

Continue Aprendendo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui