O que é After Market? Conheça o conceito, regras, vantagens e desvantagens

Se você não tem conseguido operar no horário convencional da B3, aderir ao After Market pode ser uma boa opção. Saiba como ele funciona

2029
Na imagem, um homem olhando para gráficos de investimento na tela de um computador

Quem está familiarizado com o mundo das ações sabe que as operações na Bolsa têm dias e horários para acontecer. Esse é o conhecido pregão. Entretanto, há quem não consiga acompanhar o mercado financeiro nessa janela, ou até mesmo quem não goste do excesso de volatilidade. E é para essas pessoas que explicaremos o que é After Market.  

Esse é o nome dado para quem opera fora do horário do pregão. Mas, antes de sair comprando ou vendendo suas ações, veja como isso funciona, suas regras e, principalmente, as vantagens e desvantagens.

O que é After Market?

Em português, After Market significa “depois do mercado”. No mundo dos investimentos, é exatamente o que ele representa — operações que ocorrem fora do horário do pregão.

Na B3, a Bolsa de Valores brasileira, as negociações regulares ocorrem entre 10h e 17h. O After Market dá ao investidor a possibilidade de fazer operações após esse período.

Na prática, ao fim do pregão há a liberação de novas negociações por um determinado — e curto — tempo. Assim, quem não pôde atuar durante a janela padrão tem a possibilidade de fazer sua oferta e manter sua carteira ativa.

banner

Para que serve e como funciona o After Market?

Agora você já sabe o que significa, mas, se ainda tem dúvidas de para que serve o After Market, nós explicamos.

Existem algumas razões que levam um investidor a optar por um pouco mais de tempo de operação na B3, entre elas:

  • A falta de tempo para acompanhar o mercado no horário regular;
  • A preferência pela operação em um horário alternativo, com menor volatilidade;
  • Questões sistêmicas que afetam a operação durante o dia;
  • A possibilidade de corrigir movimentações antes da abertura de um novo pregão;
  • A possibilidade de fazer movimentações a partir de notícias do mercado.

Se você atua há um certo tempo neste mercado, provavelmente já reparou que grandes empresas esperam pelo fechamento do pregão para anunciar fatos importantes. Agora imagine que esses fatos poderão impactar sua carteira no dia seguinte. Neste caso, é possível operar no After Market da B3 e negociar a compra ou venda de papéis.

Regras do After Market

Embora a opção de After Market na Bolsa de Valores pareça interessante, existem regras que precisam ser cumpridas. Nem todos os ativos podem ser negociados, por exemplo, assim como há restrições de valores e até mesmo de oscilação de um papel.

Para saber exatamente como operar nesse mercado, veja as principais condições:

  • Tipo de ativo: é possível negociar apenas commodities e ativos à vista, isto é, cuja compra e venda ocorrem a preço do mercado. Assim, quem tem interesse por ativos como os derivativos deve usar o horário regular.
  • Limite de valor: após às 17h, o investidor só pode negociar um valor máximo de R$ 900 mil por CPF.
  • Transações anteriores: só são disponibilizados para negociação no After Market os ativos negociados durante o pregão daquele dia.
  • Oscilação: considerando que o ativo já foi negociado ao longo do dia, sua oscilação não pode ter ultrapassado a porcentagem de 2% — para alta ou queda.
  • Índice: as ações disponibilizadas após o horário devem compor alguma carteira teórica de índice, como a Bovespa.

Horários das negociações na Bolsa de Valores brasileira

Para operar tanto no horário regular (pregão) da Bolsa de Valores, quanto no After Market, é preciso ficar atento aos horários de funcionamento. Eles são disponibilizados diretamente no site da própria B3:

  • Pré-abertura da Bolsa: 9h45;
  • Abertura oficial: 10h;
  • Encerramento: 17h;
  • Abertura do After Market: 17h25;
  • Encerramento do After Market: 18h.

Em resumo, o horário do After Market da B3 se inicia sempre ao fim do pregão.

Lembrando ainda que a Bolsa opera apenas de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

Vantagens do After Market

Se você ainda não conhecia o After Market, provavelmente concluiu que se trata de uma alternativa interessante e que pode ser incorporada nas estratégias de investimento. Entretanto, antes de decidir por operar, ou não, nesse mercado, é preciso ter clareza sobre suas vantagens e desvantagens.

A possibilidade de movimentar papéis após comunicados oficiais das empresas é, sem dúvidas, um dos maiores benefícios do After Market. Com esse recurso, é possível se antecipar a notícias ruins, por exemplo, colocando os papéis à venda.

Outra vantagem é que, embora haja restrições quanto a oscilação após o horário do pregão, é possível encontrar bons preços. Sem falar na flexibilidade de operar fora do horário convencional e de ter uma segunda oportunidade para corrigir movimentações.

Desvantagens do After Market

É preciso se lembrar de que o After Market é uma exceção. Isso significa que existe restrição de ativos negociados e que você não encontrará muitos traders neste horário. Dessa forma, o volume de negociações será menor – assim como o lucro.

É também pelo fato de haver um número menor de negociações que o risco de flutuação de preços é maior, assim como a diferenciação entre o preço de compra e venda de um ativo (movimento conhecido como spread).

Dicas para operar no curto período do After Market

Agora que você sabe como funciona o After Market, talvez fique interessado por operar após o horário do pregão. Neste caso, é preciso ficar atento às regras e condições que estão associadas a ele.

Lembre-se de que esse não é o modo convencional de negociação para investidores, mas sim uma alternativa que deve ser usada com cautela e estratégia.

>>> E se você quer ficar cada vez mais craque nas análises financeiras para fazer boas movimentações em sua carteira, pode se inscrever no MBA em Ações e Stock Picking, da XP Educação.

Nele, você aprende com os maiores especialistas do mercado a como desenvolver teses de investimento em ativos a partir de análise fundamentalista e valuation. Entre os tópicos de estudo do MBA estão:

  • Excel para finanças;
  • Análise técnica;
  • Mercado de opções;
  • Contabilidade e análise fundamentalista;
  • Valuation e gerenciamento de risco;

Para saber mais detalhes sobre o curso ou sobre a inscrição, clique aqui.