Educação financeira

A educação financeira se tornou uma pauta recorrente em nosso país devido às informações ilimitadas proporcionadas pelo acesso à internet.

É comum relacionarmos o tema apenas à práticas capazes de colaborar com a redução ou corte de nossos gastos, além de formas variadas para poupar e acumular dinheiro.

Mas é importante entender que a educação financeira vai muito além das possibilidades citadas, já que seu objetivo é garantir qualidade de vida ao proporcionar segurança material e financeira para lidar com possíveis imprevistos.

No artigo de hoje falamos exatamente sobre isso e separamos dicas valiosas para você inserir a educação financeira no seu dia a dia. Vamos lá?

Leia Mais

O que é educação financeira?

Sabemos que muitas pessoas possuem dificuldades quando o assunto é dinheiro.

Diversas dúvidas e desafios acabam fazendo parte deste contexto, já que lidar com as finanças nunca foi considerada uma tarefa fácil. Mas não devemos achar que apenas economistas ou profissionais da área que precisam estudar constantemente sobre o assunto: qualquer pessoa pode tirar bastante proveito ao conhecer mais sobre esse tema!

Pensando nisso, podemos afirmar que a educação financeira tem o intuito de simplificar a temática e permitir que a compreensão em relação ao dinheiro seja cada vez melhor.

Dessa forma, fornecer conhecimento acessível sobre finanças pessoais, acúmulo e multiplicação de patrimônio, além de estratégias para tomar decisões financeiras mais conscientes, faz parte deste processo educacional. 

Inclusive, a consciência acerca do uso de nosso dinheiro é um dos tópicos mais importantes quando pensamos em educação financeira.

Tomar uma decisão assertiva e bem pensada é essencial para que impactos positivos e negativos sejam previsíveis. Ou seja, conhecer como cada ação reflete em sua vida financeira futura torna tudo mais simples.

Qual a sua importância?

Como vimos, a educação financeira oferece conhecimentos capazes de descomplicar a vida de muitas pessoas.

Saber sobre finanças e, principalmente, saber como lidar com cada processo que as envolve, é essencial para contribuir com a qualidade de vida de cada brasileiro. 

A independência financeira é o sonho de muitos, assim como a possibilidade de criar um patrimônio considerável no mercado atual. 

Sendo assim, a importância da educação financeira torna-se claramente visível, pois além de auxiliar em processos simples, como redução de gastos, também pode contribuir com processos mais complexos.

O controle de despesas familiares, por exemplo, pode ser orientado através dos ensinamentos financeiros citados. 

A possibilidade de poupar dinheiro para a viagem dos sonhos ou para a abertura de seu próprio negócio, pode ter início neste pequeno grande passo em direção ao  controle de suas finanças.

Como praticar a educação financeira?

Entender os conceitos sobre educação financeira e compreender sua importância não tem significado se de fato todos os ensinamentos não forem aplicados. 

Principalmente no Brasil, onde temos constantes crises econômicas e instabilidade no trabalho, saber os conceitos básicos de finanças é primordial para não passar aperto em qualquer situação inusitada e inesperada que possa acontecer.

Para sair do vermelho e organizar todas as finanças da casa, é essencial praticar e seguir todas as dicas que preparamos para garantir o uso consciente de todo o seu dinheiro.

Continue a leitura e confira!

  1. Entenda sua situação

O primeiro passo é entender melhor qual a real situação de sua vida financeira. 

Organize uma lista com todos os seus débitos e outra com com todas as suas fontes de receita. É importante saber quanto você ganha mensalmente e com qual quantia pode contar para quitar cada dívida.

  1. Renegocie seus débitos

Sabemos que muitas vezes, apesar de toda a organização, não é possível quitar todas as dívidas de acordo com as condições iniciais dos credores.

Portanto, renegociar seus débitos pode ser fundamental para garantir possibilidades maiores em relação aos pagamentos.

  1. Controle suas despesas

Logo depois de sair do vermelho, é importante que passe a controlar todas as suas despesas.

Apesar de parecer uma tarefa complicada, basta anotar todos os dias cada despesa realizada e o método de pagamento utilizado. Torne isso um hábito!

Agrupar os gastos em categorias como alimentação, saúde e lazer, pode contribuir ainda mais com todo o processo.

Dessa forma, é possível saber quais categorias demandam altas quantias e o que pode ser reduzido ou eliminado.

  1. Elimine gastos supérfluos

Já que estamos falando em eliminar gastos, o próximo passo é justamente cortar qualquer despesa desnecessária ou exagerada.

Abrir mão de alguns desejos contribui muito com a saúde de suas finanças e permite que o dinheiro seja utilizado para despesas mais urgentes e necessárias.

Atente-se também às compras impulsivas que nos levam a gastar quantias consideráveis sem qualquer planejamento ou real necessidade.

  1. Estabeleça metas

Por fim, podemos determinar certas metas financeiras, já que o planejamento para atingir determinado objetivo pode ser um grande incentivo para seguir todos os passos anteriores.

Muitas pessoas podem ter dificuldade com o processo, portanto é essencial ir com calma, definindo metas simples e a curto prazo.

Aos poucos, com o aparecimento dos resultados, a confiança e a motivação vão aumentando e garantindo que metas mais ousadas possam se concretizar.

Conclusão

Agora que já conferimos todas as dicas, podemos afirmar que a educação financeira é uma forte aliada do dia a dia das pessoas.

Adquirir conhecimentos na área de finanças é essencial para garantir que o presente e o futuro possam ser levados da melhor maneira possível.

Apesar do crescimento desta pauta em nosso país, ainda é importante que todas essas discussões possam continuar evoluindo e fazendo parte do cotidiano de cada família brasileira.

Entenda o que é educação financeira e conheça 4 dicas para  implementá-la

Compreender o que é educação financeira não significa  virar um especialista de juros compostos ou saber fazer contas complicadas. Na realidade, esse conhecimento tem muito mais relação com uma...

O que é Regra de Ouro e qual sua importância para o orçamento público

Todo mundo sabe que cuidar dos gastos pessoais é fundamental para ter uma vida financeira saudável. Quando falamos...

Saiba o que é autarquia e seus principais exemplos

Você já se deparou com algum termo jurídico no meio de uma leitura e cujo significado não conhecia?...

TED ou DOC: qual é o melhor método de transferência?

Se você procura cuidar das suas finanças, provavelmente já se questionou qual o melhor método para realizar as...

O que é declaração retificadora? Como fazer para evitar multas?

Você certamente conhece o Imposto de Renda para Pessoa Física. Mas sabe o que é declaração retificadora? O...
spot_img

O que é Regra de Ouro e qual sua importância para o orçamento público

Todo mundo sabe que cuidar dos gastos pessoais é fundamental para ter uma vida financeira saudável. Quando falamos sobre o tema voltado ao funcionalismo...

Saiba o que é autarquia e seus principais exemplos

Você já se deparou com algum termo jurídico no meio de uma leitura e cujo significado não conhecia? Para quem está de fora da...

TED ou DOC: qual é o melhor método de transferência?

Se você procura cuidar das suas finanças, provavelmente já se questionou qual o melhor método para realizar as transferências financeiras: TED ou DOC? A...

O que é declaração retificadora? Como fazer para evitar multas?

Você certamente conhece o Imposto de Renda para Pessoa Física. Mas sabe o que é declaração retificadora? O documento é aliado de contribuintes que,...

O que é holding de investimentos? Será que este modelo funciona para você?

É investidor e mira a formação de patrimônio? Busca caminhos para administrar seus bens de forma segura e rentável? Neste caso, saber o que...

5 metas financeiras para você atingir os seus objetivos

Todo novo ano começa do mesmo jeito: com IPTU, IPVA e rematrícula. Isso sem falar nas promessas feitas logo na virada, como iniciar uma...
spot_img