Como calcular a rentabilidade de ações? 10 passos práticos!

Quer se tornar um trader bem-sucedido, mas ainda não sabe como calcular a rentabilidade de ações? No post de hoje, você descobrirá como fazer esse cálculo em apenas dez passos, sabia?

Então, siga conosco para descobrir como calcular a rentabilidade de ações de maneira prática e efetiva. Assim, você poderá acompanhar de perto os resultados dos investimentos na bolsa de valores

Mas, afinal, como calcular a rentabilidade de ações?

Antes de mostrar como calcular a rentabilidade de ações, explicaremos sobre o retorno desse investimento. Adicionalmente, aproveite para baixar o e-book “Guia da bolsa para investidores”, como forma de aprimorar a estratégia e investir melhor. 

Imagem da campanha de um livro digital gratuito com o tema "Guia da bolsa para Investidores" da Xpeed School.

O que é rentabilidade de ações?

A rentabilidade das ações é o percentual que o investidor terá de retorno sobre a quantia aplicada na compra de ativos. Por exemplo, calcular a rentabilidade mensal serve para apurar o resultado obtido em um determinado mês, havendo lucro ou prejuízo.

>>> Dica de leitura: saiba mais sobre como receber os dividendos e bonificações das ações

Como calcular a rentabilidade de ações em 10 passos?

A seguir, listamos dez passos práticos para descobrir como calcular a rentabilidade de ações. E, para colocá-los em prática, fique à vontade para criar sua própria planilha no Excel ou no Google Planilhas, a fim de compilar as indicações dos próximos tópicos. 

Por sinal, lembre-se de usar uma linha por ação, além de uma coluna para cada item que traremos a seguir, ok? Com isso, será mais fácil manter seu controle financeiro em dia, lembrando de atualizar os dados em tempo hábil.

1. Identifique os códigos da ação para automatizar a cotação

Ao incluir o código de cada ação, será possível usar uma fórmula para atualizar as cotações de imediato. Para isso, vale a pena conferir um tutorial da Microsoft que mostra como extrair os dados da internet e passá-los para a planilha do Excel automaticamente.

2. Acompanhe as datas de compra e venda das ações

Por meio da nota de corretagem, disponível na plataforma da sua corretora, você terá todas essas datas. Aliás, o documento funciona como um extrato das movimentações financeiras, que, além das datas, contém: preços de aquisição, taxas, impostos e afins. 

3. Fique de olho na cotação em cada data de compra

As ações são conhecidas pela oscilação de preços, não é mesmo? Logo, é vital considerar a cotação do dia em que o papel entrou na carteira. E essa informação também estará na nota de corretagem, pois cada documento é emitido para um dia específico de negociação. 

4. Considere as quantidade de ações que foram adquiridas

Aqui, não se esqueça de diferenciar os mercados integral e fracionário. No primeiro deles, você compra um lote cheio, com 100, 200, 300, 400, 500 ações e daí em diante. Porém, se optar pelo lote fracionado, isso se refere a uma fração que vai de 1 a 99 ações.

5. Coloque na ponta do lápis qual foi o montante investido

Atualize a planilha com a cotação de cada ação (por data) e multiplique o valor pelo número de papéis adquiridos. Depois disso, some a corretagem (se houver) e os demais custos, como a taxa de liquidação e os emolumentos pagos para operar na bolsa de valores.

6. Compare o preço atual em relação ao custo de aquisição 

Se você não quiser usar a fórmula para puxar as cotações automaticamente, fique tranquilo. Além da automatização que citamos no primeiro item, pode-se acessar o portal InfoMoney para conferir a cotação atual, com mais detalhes sobre o comportamento dos ativos. 

7. Verifique se houve a valorização ou desvalorização dos papéis

Nesse ponto, compare o valor que foi pago na compra e a cotação atual para saber se a ação se valorizou ou não. Em paralelo, vale a pena verificar se os papéis estão em tendência de alta ou baixa, a fim de decidir sobre a entrada e a saída das operações.

8. Veja qual é o valor atual dos ativos que estão na sua carteira

Como saber se, atualmente, seus ativos estão performando bem? Para tal, basta multiplicar  o número de ações pelas cotações atuais. Além disso, não deixe de diversificar a carteira para obter ganhos consistentes e equilibrados. 

9. Observe a performance por meio do valor atual consolidado

Já a penúltima coluna tem o valor atual consolidado das ações que constam no seu portfólio. No caso, é necessário somar os dividendos e as bonificações, além de substituir o imposto de renda e as taxas que incidem sobre os lucros relativos às vendas das ações.

>>> Leia mais sobre a declaração da renda variável no imposto de renda (IR)

10. Use a última coluna para o cálculo de rentabilidade

Para finalizar, a última coluna trará o resultado da rentabilidade. Sendo assim, divida o valor consolidado (item 9) pelo total investido (item 5) e, depois, deduza o número 1 dessa forma:

Valor consolidado / Total investido – 1

Essa será a rentabilidade nominal das ações e, se for descontada a inflação, teremos a rentabilidade real. Para obter esse número, verifique a variação de IGP-M ou IPCA do período e desconte um dos índices que medem a inflação do valor atual consolidado.  

Extra: ferramenta para calcular o rendimento de ações

Até aqui, já deu para perceber que não é tão difícil saber como calcular a rentabilidade de ações, certo? Por outro lado, muitas pessoas ainda têm receio de lidar com as planilhas financeiras, sobretudo quando isso reflete na análise de resultados dos seus investimentos.

Nesse sentido, já pensou em dominar uma ferramenta que agilize o cálculo do rendimento real das aplicações? Pois bem, o curso que te ajuda nessa empreitada se chama: “Excel para finanças: do básico ao avançado”.

Campanha de um curso online sobre "Excel para Finanças: do Básico ao Avançado" da Xpeed School.

Na formação, você conhecerá uma série de dados que otimizam os resultados das aplicações, incluindo:

  • simulação de ganhos com o trading;
  • custo de oportunidade dos investimentos;
  • relação entre o preço e o lucro das ações.

Enfim, aproveite os cursos da Xpeed School para dar continuidade nessa jornada da riqueza. No fim das contas, você terá mais insumos para controlar as finanças assertivamente, aprimorar a estratégia de investimentos e conquistar a liberdade financeira.

Vamos começar?

banner graduação da xp educação

Continue Aprendendo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img