O que é análise fundamentalista? Como funciona essa técnica de avaliação de ações?

Entender o que é análise fundamentalista pode transformar a maneira como você enxerga as ações no mercado financeiro. Isso porque o método ajuda a identificar os aspectos-chave a se avaliar para projetar o potencial de crescimento dos ativos. 

Quer entender mais sobre como o método funciona? Continue a leitura do artigo e tenha acesso a um material completo e descomplicado! 

O que é análise fundamentalista? 

Análise fundamentalista é uma técnica utilizada por investidores e gestores de ativos para identificar ações com potencial de crescimento. 

Sabe quando você vai comprar um carro, por exemplo, e leva em consideração diferentes aspectos, como a credibilidade da marca, a tabela Fipe (e o potencial de valorização ou desvalorização do veículo após alguns anos), as referências de amigos e conhecidos que compraram o mesmo carro, etc.? 

Sua intenção é se convencer, por meio de argumentos racionais, de que este é um investimento que vale a pena, não é mesmo? 

O princípio da análise fundamentalista é o mesmo. Considerando diferentes aspectos, esta metodologia de avaliação permite que o investidor construa um retrato de seu potencial investimento

A partir daí, consegue traçar uma perspectiva do que ele considera um “preço justo” para as ações, levando em conta seu histórico e suas tendências em geração de valor para o futuro, e decide se aquele ativo é interessante para a sua carteira. 

>>> Leia mais sobre análise fundamentalista e veja uma comparação do método com outro tipo popular de avaliação de ações: a análise técnica. 

Aproveite e dê o play no vídeo abaixo para saber mais sobre o tema! 

Como funciona a análise fundamentalista de ações? 

Assim como no exemplo do carro, a compra de ações segundo a análise fundamentalista depende da avaliação de diferentes aspectos. A seguir, te mostramos alguns deles. 

>>> Antes de continuar, aqui vai uma dica de leitura: Tudo o que você precisa saber sobre ações

Aspectos considerados

Macroeconomia

Durante a análise dos aspectos macroeconômicos relacionados à empresa cujas ações estão em avaliação, o investidor busca compreender a maneira como o cenário externo afeta a organização. Neste caso, ele leva em consideração fatores como: 

  • Nível de atividade (PIB, geração de emprego e renda);
  • Inflação (preço dos ativos, liquidez do papel);
  • Juros (custo de oportunidade da ação, potencial de crescimento do mercado);
  • Câmbio (valor do ativo, competitividade no mercado global).

Assista ao vídeo abaixo para saber mais sobre os impactos da macroeconomia nos seus investimentos! 

Análise setorial

Neste momento, o investidor parte do âmbito geral para o particular, entendendo que o cenário externo não impacta todos os setores da mesma maneira. Taxas de câmbio elevadas, por exemplo, são benéficas para exportadoras, mas ruins para empresas que operam com importação. 

Por isso, é preciso observar o segmento de atuação da empresa cujas ações são consideradas. É importante avaliar, por exemplo: 

  • incentivos governamentais concedidos ao setor; 
  • tamanho e faturamento do segmento; 
  • capacidade instalada (além da concorrência e dos diferenciais competitivos do setor);
  • posicionamento do segmento no mercado de importação e exportação;
  • novos entrantes/barreiras de entrada. 

Entendimento sobre a empresa 

Para entender por completo o que é análise fundamentalista de ações, é preciso voltar o olhar também aos aspectos “micro”. Neste caso, uma avaliação minuciosa sobre a empresa pode ajudar na projeção de seu crescimento no mercado de ações. 

Leve em conta o desempenho econômico-financeiro das organizações ao longo dos anos e acesse dados estratégicos, como: 

  • balanços financeiros;
  • demonstrativos de resultados;
  • fluxos de caixa;
  • reputação e credibilidade da companhia.

Quais os principais indicadores da análise fundamentalista? 

Os dados coletados na avaliação dos cenários macro e micro ajudam a construir os indicadores da análise fundamentalista. Eles possibilitam uma avaliação mais precisa sobre o potencial da ação. 

A seguir, citamos alguns dos indicadores fundamentalistas e deixamos uma sugestão de leitura para quem deseja se aprofundar mais no tema. 

P/VPA (Preço/Valor Patrimonial)

Indicador que diz o quanto os investidores estão dispostos a pagar pelo patrimônio líquido da empresa. Seu cálculo, tal qual o nome diz, é feito a partir da divisão do preço da ação dividido pelo valor patrimonial correspondente. 

PSR (Price to Sales Ratio ou relação Preço/Vendas)

Mede o desempenho de vendas de uma companhia. O cálculo do PSR é feito por meio da divisão entre o valor da empresa e sua receita operacional líquida.

Índice Preço/Lucro 

Indicador utilizado para avaliar o preço das ações. Preço é o valor da ação na bolsa e lucro é o ganho líquido por cada ação no mesmo período de análise.  

Lucro Líquido

É a diferença entre receitas e gastos da operação. 

Patrimônio Líquido (PL)

Indicador que aponta a diferença entre o valor dos ativos (bens e direitos a receber pela companhia) de uma empresa e o seu passivo (obrigações com terceiros e com os sócios).

Ebitda

Representa o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização.

Margem ebitda

Indica a margem de lucro operacional de um negócio. Seu cálculo é possível por meio da divisão entre o Ebitda registrado pela companhia em determinado período e as receitas.

Dividend Yield

Também chamado de Taxa de Retorno com Dividendos, mede o rendimento de uma ação com o pagamento de dividendos. Seu cálculo é feito por meio da relação entre os ganhos distribuídos pela empresa e o preço das ações da empresa na bolsa. 

ROE (Return on Equity, ou Retorno sobre o Patrimônio Líquido)

Mostra quão eficiente é a empresa ao usar seus ativos para obter lucro. Seu cálculo é feito a partir da divisão do lucro líquido da empresa no último ano fiscal pelo patrimônio líquido. 

>>> Sugestões de leitura: conheça mais indicadores da análise fundamentalista

O que considerar antes de adotar a análise como o seu método de avaliação de ações?

Agora você já sabe o que é análise fundamentalista. Para decidir se este método é indicado para as suas análises de ações, é importante considerar as vantagens e desvantagens atreladas à estratégia. 

O método fundamentalista de avaliação de ações é bastante abrangente e completo. Ele é, inclusive, utilizado por ícones do mercado financeiro e stock pickers, como Warren Buffett

Além disso, a metodologia tende a entregar bons resultados no longo prazo, afinal, possibilita um entendimento profundo sobre o contexto da empresa que origina as ações. 

Por outro lado, para ser um bom analista fundamentalista, é preciso ter tempo e conhecimento sobre o mercado financeiro. Adquirir essa expertise demanda dedicação e experiência. 

Outra crítica bastante comum à análise fundamentalista é o fato de que, em alguns casos, os movimentos diários do mercado não refletem as perspectivas levantadas pelos analistas. Isso acontece, sobretudo, quando há desalinhamento de expectativas, sobretudo para investidores que desejam operar com frequência no pregão, se tornando impacientes quanto às previsões de longo prazo. 

Aprenda mais sobre análise fundamentalista

Se você gostou de descobrir o que é análise fundamentalista e acredita que o método pode te ajudar a escolher ações de forma mais estratégica, que tal avançar no aprendizado sobre o assunto? 

Indicamos o curso “Análise Fundamentalista: Identifique os Futuros Vencedores da Bolsa”, módulo de 3h de duração que  aborda os aspectos trazidos neste artigo de forma prática e aprofundada.

Campanha de um curso online sobre "Análise Fundamentalista: Identifique os Futuros Vencedores da Bolsa" da Xpeed School.

spot_img

Continue Aprendendo

spot_img