Entenda o que são debêntures incentivadas, como funciona e as principais opções de fundos

Com o recente aumento da taxa Selic, muitos investidores estão voltando o olhar com mais interesse aos investimentos de renda fixa. Dentre as opções mais famosas, como Tesouro Direto e CDB, outras acabam esquecidas. Por exemplo, você sabe o que são debêntures incentivadas?

Essa modalidade de investimento, apesar do histórico de volatilidade, atrai muitos investidores. Fatores como rendimentos geralmente mais altos somados a uma análise fundamentalista da gestão dos fundos dos ativos costumam se sobrepor às incertezas quanto a possíveis riscos.

Segundo dados do Governo Federal, só em junho de 2021, a emissão de títulos dessa modalidade de renda fixa atingiu o patamar de R$ 5,5 bilhões. Esse número é fruto do lançamento de 10 debêntures vinculadas aos setores de Energia, Transportes e Telecomunicações.

Preparamos esse conteúdo para que você entenda melhor como funciona essa modalidade de investimento, além dos melhores fundos disponíveis no mercado. 

Ficou interessado em aprender o que são debêntures incentivadas? Continue a leitura até o fim!

O que são debêntures incentivadas?

Apesar de ser título de renda fixa mais desconhecido e menos popular que a maioria, entender o que são debêntures incentivadas e seu funcionamento é mais simples do que se pode imaginar.

De maneira bem clara, elas consistem em títulos emitidos para a angariação de recursos financeiros para projetos de interesse nacional ligados ao aprimoramento da infraestrutura do país. 

Portanto, a compra de debêntures incentivadas resulta numa espécie de crédito de financiamento para que empresas privadas consigam executar projetos geralmente ligados a:

  • saneamento básico;
  • geração, transmissão e distribuição de diversas matrizes energéticas, como a energia solar;
  • logística;
  • transporte, como aviação civil e infraestrutura rodoviárias;
  • telecomunicações;
  • mineração, entre outros segmentos.

Lei 12.431 debêntures incentivadas

A legislação que regula o funcionamento das debêntures incentivadas foi consolidada em 2011 pela Lei 12.431 O primeiro parágrafo do documento diz o seguinte:

“As debêntures objeto de distribuição pública, emitidas por concessionária, permissionária, autorizatária ou arrendatária, constituídas sob a forma de sociedade por ações, para captar recursos com vistas em implementar projetos de investimento na área de infraestrutura ou de produção econômica intensiva em pesquisa, desenvolvimento e inovação, considerados como prioritários na forma regulamentada pelo Poder Executivo federal também fazem jus aos benefícios dispostos no caput , respeitado o disposto no § 1º .”

Para emitir debêntures, a empresa precisa ter capital aberto, mas não precisa necessariamente ter ações na bolsa. Dessa forma, ao comprar o título, o investidor vira credor da empresa, não acionista.

Como complemento para que você entenda melhor o que são debêntures incentivadas, recomendamos que assista ao vídeo assim:

Por que elas são consideradas “incentivadas”?

Elas são incentivadas justamente por causa de seus objetivos. Essa modalidade de debênture está isenta da aplicação da alíquota de imposto de renda para pessoas físicas. Assim, é possível  incentivar a compra por parte dos investidores e o desenvolvimento de projetos que beneficiam o país.

Essa isenção é um dos principais diferenciais desse investimento em relação a outros exemplos de renda fixa, como Tesouro Direto.

Em suma, entender o que são debêntures incentivadas fica mais claro se as imaginarmos como um empréstimo em dinheiro feito pelos compradores para as empresas emissoras no momento de aquisição de um título.

Por sua vez, esse investimento é revertido para a alocação de recursos para projetos de infraestrutura e interesse nacional. 

Portanto, ao comprar uma debênture, o proprietário do papel empresta dinheiro para uma empresa tocar um projeto previamente referendado na escritura. Assim, ao fim do contrato, o investidor recebe o valor investido acrescido de juros. Geralmente, o prazo mínimo para resgate dos valores é de quatro anos.

Imagem da campanha de um curso online sobre "Renda Fixa: Ganhos com Baixo Risco" da Xpeed School.

Quais são os melhores fundos de debêntures incentivadas?

Os fundos de debêntures incentivadas são extremamente semelhantes aos outros fundos de investimento. O dinheiro arrecadado por meio da negociação de cotas é voltado, geralmente, para a compra de títulos públicos e de debêntures incentivadas.

Afinal, escolher debêntures não é uma tarefa fácil e o investimento inicial nesses ativos não é muito acessível. Algumas gestoras de recursos como a Kinea, o Bradesco e a XP ofertam fundos desse tipo atrelados a outros papéis de renda fixa.

De maneira geral, o objetivo com essa prática é tornar mais prático e tangível o investimento nesses títulos de crédito privado, apesar de alguns fundos ainda exigirem investimentos iniciais bem salgados. 

Portanto, quais são os melhores fundos de debêntures incentivadas? Separamos três opções interessantes que merecem ser analisadas:

    1. XP Debentures incentivadas: alcançou uma rentabilidade de 8,14% nos últimos 12 meses (até outubro de 2021). Taxa de administração de 1% ao ano e aplicação mínima de R$ 5.000.  
    2. ARX Elbrus Advisory FIC de Fundos Incentivados de Infraestrutura RF:  alcançou uma rentabilidade de 10,96% nos últimos 12 meses (até outubro de 2021). Taxa de administração de 0,70% ao ano e aplicação mínima mais modesta de R$ 500..  
  • Bradesco Debêntures Incentivadas:  alcançou uma rentabilidade de 7,17% nos últimos 12 meses (até outubro de 2021). Taxa de administração de 0,5% ao ano e aplicação mínima de R$ 1.000.  

Tá interessado em investir em debêntures ou em outro título de renda fixa ou variável? Veja no canal Investimento às Claras como a volatilidade pode ajudar os seus investimentos:

 

Investir em debêntures incentivadas vale a pena?

Apesar da isenção de imposto de renda e da promessa de rendimentos atrativos e geralmente bem superiores aos de outros títulos de renda fixa, investir nessa modalidade de crédito privado pode valer a pena sim

Entretanto, é preciso tomar consciência dos riscos. Em especial, podemos citar:

Para conter a volatilidade nos preços, especialmente dos títulos prefixados, algumas gestoras desenvolveram uma proteção chamada Hedge. Esse mecanismo permite atrelar a rentabilidade dos ativos a índices como o CDI e ao de referência da família IMA-B, da Anbima, que acompanha a variação de títulos de Tesouro IPCA+

Dessa forma, as volatilidades tornam-se menos frequentes, mas, em compensação, o valor dos rendimentos também cai.

Portanto, entendido o que são debêntures incentivadas, você acha vale a pena investir seu dinheiro neles? A resposta depende muito do perfil do investidor e de outras variáveis.

No fim das contas, somente o conhecimento e o estudo disciplinado de ativos e modalidades de investimentos trarão a resposta certa para essa pergunta.

Nesse sentido, veja como a Escola de Investimentos da Xpeed pode te ajudar a entender a dinâmica do mercado financeiro, assim como identificar oportunidades e riscos para que você possa alocar seus recursos da melhor maneira possível na sua carteira!

spot_img

Continue Aprendendo

spot_img