O que é People First e qual a sua importância?

Veja como a cultura centrada nas pessoas pode gerar benefícios para empresas e seus colaboradores

1884
Na imagem, um homem com avental está fazendo o número um com as mãos

Durante muitos anos, o ambiente de trabalho era visto apenas como um lugar de troca. O profissional dedicava seu tempo a uma atividade e, em troca, a empresa o remunerava por isso. Ainda que o conceito de emprego permaneça o mesmo, o de people first tem mudado a ótica dessa relação.

No artigo abaixo nós falamos sobre como as empresas vêm colocando as pessoas em primeiro lugar. Além da contextualização, você também aprende a como aplicar esse conceito em seu negócio e os benefícios que podem ser obtidos a partir dele. Vamos lá?

O que é people first?

Em português, people first significa “pessoas primeiro”. Essa tradução, por si só, já resume o seu conceito. Mas vamos explicar melhor.

People first pode ser definido como um tipo de gestão na qual as pessoas são colocadas como elementos centrais dos processos. Se antes o lucro a qualquer custo era a prioridade, hoje as estratégias são conduzidas tendo como foco os indivíduos. Aqui, estamos nos referindo a todas as pessoas envolvidas de alguma maneira no negócio, desde os colaboradores até os clientes.

O objetivo da cultura people first é priorizar quem está por trás do funcionamento das empresas. Nessa linha, os resultados são decorrentes da valorização humana.

banner

Qual é a importância do people first para os colaboradores?

Considerando que, por muitos anos, os colaboradores eram vistos apenas como executores de suas atividades, o people first provocou uma verdadeira revolução. Hoje, mais que importantes na entrega de resultados, eles passaram a ser reconhecidos também como peças fundamentais do processo.

O resultado é uma cultura que viabiliza a sensação de valorização entre os profissionais. Automaticamente, ela gera maior motivação e um ambiente de trabalho mais saudável.

(Fonte: Pexels)

E para as empresas, qual a importância do people first?

Inúmeras pesquisas mostram que funcionários mais felizes e engajados são mais produtivos e eficientes. Isso significa que empresas que adotam o modelo de gestão people first têm resultados mais sólidos.

Imagine um ambiente no qual o colaborador é apenas cobrado por seus resultados. Ao mesmo tempo, pense em um espaço no qual ele é incentivado a contribuir com ideias e é colocado como parte essencial do processo. Em qual dos dois você acredita que ele colocará mais empenho?

Evidentemente, é esperado que um profissional faça o trabalho pelo qual foi contratado. Isso, porém, não significa que a cobrança precisa ser dura.

Como aplicar o people first?

Muitas vezes, a desculpa para não implementar a cultura people first nas empresas é a falta de verba ou de time dedicado. Entretanto, isso não deve ser uma barreira, já que a prática de colocar as pessoas em primeiro lugar não depende, necessariamente, desses fatores.

Se você quer entender melhor como isso funciona, veja quatro práticas que as empresas adotam e que contribui significativamente com esse modelo de gestão.

< Leia também: Gestão de talentos – o que é, como fazer e por que é importante />

Líderes empáticos

Em um momento no qual a saúde mental tem sido pauta recorrente dentro e fora das empresas, ter uma gestão que motive e se preocupe verdadeiramente com as necessidades de seu time é fundamental.

Isso está refletido nas reuniões recorrentes de feedback, mas também na construção de uma relação aberta, no qual o profissional enxerga espaço para levar suas dúvidas, preocupações e sugestões.

Em ambientes como esse, a sensação de pertencimento é predominante. Mais que uma referência, o líder passa a ser visto como um indivíduo comprometido com o seu time.

Clima organizacional positivo

Não basta lançar uma série de iniciativas para o colaborador, se suas percepções não forem coletadas.

Para colocar o time efetivamente em primeiro lugar, é preciso recorrer a elementos como a pesquisa de clima organizacional. O objetivo deve ser entender como o profissional se sente diante de temas como liderança, equipe, salários e cultura.

Com esse material coletado, é possível traçar estratégias pautadas pelas reais necessidades do time.

Desenvolvimento

Uma maneira de colocar o colaborador em primeiro lugar é estimulando o seu desenvolvimento. Isso pode ser feito a partir de diversas iniciativas, como os 1:1s, as reuniões de feedback e os programas de avaliação como o PDI (Plano de Desenvolvimento Individual). Neste último, líder e liderado se conectam para estabelecer planos de ação em prol de objetivos traçados.

Reconhecimento

Uma das razões que aumentam as taxas de turnover nas empresas é a falta de reconhecimento. Para muitos funcionários, não ser visto pela sua liderança é motivo de insatisfação, que leva à busca por outras oportunidades.

Para evitar esse cenário, muitas empresas vêm estabelecendo programas de reconhecimento. Neles, o profissional é destacado por suas contribuições e, em alguns casos, premiado por elas.

Quais os principais benefícios do people first?

Como você pôde ver, estabelecer a cultura people first é importante não só para os colaboradores, como também para as empresas.

Se você ainda tem dúvidas sobre isso, veja os principais benefícios que podem ser obtidos com essa mudança de chave.

  • Talentos retidos: no Brasil, a taxa de turnover é uma das mais altas do mundo, tendo dobrado nos últimos anos. Embora isso represente um desafio para as empresas, é fato que a valorização de um colaborador contribui significativamente para sua permanência.
  • Marca empregadora mais forte: não há publicidade mais eficaz que a do boca a boca. No ambiente corporativo, isso acontece quando colaboradores divulgam, organicamente, suas percepções positivas sobre as empresas nas quais trabalham. O resultado disso é o fortalecimento da marca empregadora, que além de contribuir com a retenção de talentos, atrai outros tantos disponíveis no mercado.
  • Maior atingimento das metas: já dissemos por aqui que funcionário que trabalha engajado gera melhores resultados para as companhias. Isso significa maior eficácia no atingimento das metas propostas.
  • Mais atenção do mercado: quando as empresas se destacam por suas iniciativas com as pessoas, elas tendem a ser mais bem aceitas pelo mercado.

Exemplo de empresas que utilizam o people first?

Nubank

Provavelmente, em algum momento alguém próximo de você já manifestou interesse em trabalhar no Nubank. Esse interesse é resultado de um forte trabalho de people first conduzido pela financeira.

Na pandemia, por exemplo, a companhia decidiu manter todos os seus colaboradores em regime home office. Com a flexibilização, esse sistema continuou válido, de modo que os profissionais podem optar por trabalhar de qualquer parte do mundo.

A diversidade também é levada a sério por lá. Para reforçar esse compromisso, comitês traçam estratégias e promovem discussões entre os profissionais.

iFood

Se você é usuário do LinkedIN, certamente já viu uma ou mais publicações sobre promoções ou aumentos de salário entre funcionários do iFood. Isso é fruto de um sólido programa de desenvolvimento que a companhia possui, e que visa valorizar constantemente suas equipes.

Por lá, a diversidade também é assunto sério. Não é incomum, por exemplo, ver vagas exclusivas e afirmativas que priorizam as minorias.

>>> Como dissemos, uma maneira de colocar o colaborador em primeiro lugar é incentivando o seu desenvolvimento. Para contribuir com essa estratégia, a XP Educação lançou o XPE Multi, uma plataforma com dezenas de cursos, imersões internacionais e bootcamps.

O objetivo da XPE Multi é ajudar profissionais a se desenvolverem e contribuírem significativamente com as empresas nas quais atuam. Se você quer fazer parte disso, basta assinar a plataforma e dar acesso aos seus colaboradores, que terão passe livre em cursos de finanças e mais de 60 bootcamps. Para saber mais sobre como a plataforma funciona, acesse a página oficial XPE Multi.