Absenteísmo no trabalho: o que é, quais as causas e como diminuir

Na teoria a taxa ideal de absenteísmo é em torno de 4%, mas na prática elas chegam a até 10%

Fazer com que uma empresa funcione conforme o planejado, de maneira eficiente e com funcionários entregando o máximo desempenho é um desafio com vários obstáculos. Um deles é o absenteísmo no trabalho.  

Se você nunca ouviu falar no termo e está se perguntando o que é absenteísmo no trabalho, este artigo vai tirar as suas dúvidas. Nele, vamos falar o que significa esse termo, quais os tipos de absenteísmo e o motivo dessa métrica ser tão importante para os profissionais de RH.    

O que é absenteísmo no trabalho?

Segundo o dicionário, o absenteísmo representa o hábito de se ausentar ou não comparecer com frequência. Logo, o absenteísmo no trabalho se refere a ausência do trabalhador ao seu local de trabalho, seja apenas por algumas horas ou por dias.

Além disso, também são incluídos nas atitudes que configuram absenteísmo no trabalho os atrasos constantes por parte dos colaboradores. 

Portanto, o absenteísmo no trabalho diz respeito aos períodos em que o trabalhador se ausenta, independente do motivo — com exceção das férias que não entram nessa conta.    

Diferença entre Absenteísmo e Turnover

Primeiramente, vamos explicar para você o que é turnover, caso você não conheça o conceito. Turnover é um índice que mensura a rotatividade de funcionários dentro de uma empresa. 

Geralmente, as pessoas acham que absenteísmo e turnover são a mesma coisa porque ambos são fortes indicadores de que algo não está funcionando tão bem dentro da empresa. 

Contudo, o turnover é uma consequência do absenteísmo, que muitas vezes é causada por problemas de gestão empresarial, mau relacionamento com os colegas de equipe, entre outras questões.

Por exemplo, um colaborador constantemente precisa se ausentar por problemas de saúde. Por conta disso, ele tem muitos problemas com o seu gestor. Provavelmente, esse funcionário será desligado da empresa por causa da sua taxa de absenteísmo no trabalho e aumentará o índice de turnover dentro daquela empresa.   

Tipos de absenteísmo

Existem diversas razões para que um funcionário se ausente do trabalho e essas ausências são classificadas em três tipos: justificado, injustificado, presenteísmo.

Abaixo, falamos de cada tipo para que você entenda como eles são identificados na prática.  

Justificado

O absenteísmo justificado é aquela ausência onde o colaborador informa à empresa o motivo da sua falta. Os tipos mais comuns de absenteísmo justificado são idas a consultas ou licenças médicas por problemas de saúde. 

Normalmente, essas ausências são comunicadas com antecedência e a empresa consegue se preparar previamente para a ausência do funcionário. Dessa forma, ninguém sai prejudicado. 

Injustificado

Ao contrário do justificado, no absenteísmo injustificado o funcionário não informa o motivo da sua ausência para a empresa. 

Geralmente, as motivações mais comuns para absenteísmo injustificado são imprevistos ou falta de motivação para continuar naquele ambiente de trabalho.    

Nesses casos, a empresa é pega desprevenida e muitas vezes não consegue se organizar a tempo para suprir a ausência do funcionário.  

Presenteísmo

Por fim, o último tipo de absenteísmo é talvez o mais comum no dia a dia das empresas, e também o mais difícil de ser detectado pela equipe. Afinal você precisa de um longo tempo de observação para perceber e comprovar tal atitude por parte do funcionário.

O presenteísmo se refere a uma ausência do funcionário mesmo quando ele está presente no ambiente físico. Ou seja, o funcionário está lá fisicamente, mas sua cabeça não está. Ele trabalha desmotivado, o seu rendimento cai e a sua produtividade é cada vez mais baixa.

<Leia também: Neurodiversidade: entenda o que é e qual a sua importância/>

Como calcular o absenteísmo no trabalho?

Em alguns casos, como no presenteísmo, a identificação é um pouco mais complicada. Entretanto, existem cálculos simples que ajudam a mensurar a taxa de absenteísmo na instituição. 

Abaixo, explicamos como fazer esse cálculo de maneira detalhada: 

  1. Faça um levantamento do número de horas mensais que os seus colaboradores deveriam trabalhar no mês;
  2. Verifique a quantidade de horas de ausência (atrasos, faltas parciais, afastamentos médicos) dos seus colaboradores durante um mês;
  3. Junte todos os horários levantados e faça o cálculo. A fórmula utilizada é: Absenteísmo = horas perdidas ÷ horas totais x 100.
Mulher trabalha desmotivada e causa absenteísmo no trabalho
A falta de motivação dos funcionários pode aumentar a taxa de absenteísmo no trabalho.

Agora, para ficar mais fácil a compreensão, vamos a um exemplo:

Primeiramente, você precisa saber que estamos falando de uma empresa que trabalha numa jornada de 8 horas diárias, trabalha de segunda a sexta-feira e possui 12 colaboradores

  • Horas trabalhadas: 8 (horas trabalhadas por dia) x 20 (dias úteis no mês) x 12 (total de colaboradores) = 1.920 horas planejadas de trabalho por mês;
  • Horas de ausência: 4 (horas por dia) x 5 (dias de ausência) x 6 (total de colaboradores que se ausentaram) = 120 horas perdidas;
  • Cálculo: 120 (horas perdidas) ÷ 1.920 (horas totais) x 100 = 6,25%

Portanto, nesse exemplo, a taxa de absenteísmo da empresa é de 6,25% entre todos os funcionários. 

Existe um índice de absenteísmo no trabalho aceitável?

Não existe um consenso entre os especialistas de Recursos Humanos sobre qual o índice de absenteísmo para as empresas. Entretanto, muitos estimam algo em torno de 4% para ser considerado o ideal. 

Atingir abaixo desse índice é praticamente impossível, dependendo da quantidade de colaboradores na empresa. 

Segundo os dados apresentados em um levantamento da Levee, empresa voltada para o aumento da produtividade por meio de Inteligência Artificial, estima-se que:

  • 5% é o índice de absenteísmo no setor de serviços no Brasil;
  • 7% a 10% é o índice de absenteísmo em segmentos como o varejo no Brasil.   

Impactos do absenteísmo no trabalho 

Por mais que tenha motivações diversas, no absenteísmo tem uma coisa que não muda independente da sua razão: as consequências dele.

É fato que o alto índice de absenteísmo no trabalho prejudica diretamente o rendimento de toda a empresa e diminui o seu potencial de entrega.

Além da produtividade, existem outros impactos causados. Abaixo, listamos alguns para que você entenda melhor como isso pode interferir na rotina de trabalho: 

  • Altos custos para a empresa: desligar um funcionário é um processo caro. Além do dinheiro de verbas rescisórias, o desligamento demanda também muito tempo da equipe de gestão de Recursos Humanos que precisa abrir processo de seleção, entrevistar, treinar novos colaboradores, etc; 
  • Dificuldade na gestão: a boa gestão de processos é fundamental para a organização das atividades de uma empresa. Entretanto, ela acaba sendo prejudicada devido às ausências e a rotatividade entre funcionários; 
  • Sobrecarga da equipe: com a ausência de um funcionário, é comum que o outro momentaneamente assuma aquela função. Entretanto, com a ausência frequente, a equipe começa a ficar sobrecarregada e desempenhar o papel de dois ou mais colaboradores simultaneamente.   
  • Desgaste do clima organizacional: como consequência das questões citadas acima, os colaboradores começam a se desgastar, o que aumenta o sentimento de insatisfação e prejudica o dia a dia entre a equipe.  

Quais as causas absenteísmo no trabalho 

No geral, as maiores causas de absenteísmo são problemas de saúde e desmotivação por parte do funcionário. Mas claro que outros fatores podem influenciar diretamente nessa questão. 

Por isso, citamos abaixo alguns fatores internos e externos que aumentam os índices de absenteísmo no trabalho. 

Fatores internos da empresa

Em primeiro lugar temos a desmotivação. Ela pode ser ocasionada por diversos fatores como, por exemplo, baixa remuneração salarial ou falta de infraestrutura. 

Em seguida temos os problemas com a gestão. Muitas vezes, isso acontece porque nem todo chefe tem postura de líder e com isso ele acaba gerando mal-estar entre a sua própria equipe. 

Por fim, a cultura organizacional da empresa. Geralmente, empresas com modelo de gestão muito autoritário não ouvem o funcionário e não investem em treinamento e desenvolvimento para a evolução da equipe.  

Fatores externos da empresa

Aqui, em primeiro lugar temos doenças e problemas de saúde que impossibilitam o funcionário de trabalhar.

Logo em seguida, temos imprevistos, como problemas familiares, atrasos devido ao trânsito ou ao transporte público. 

Por fim, problemas pessoais. Por vezes o colaborador está passando por uma situação familiar delicada ou está com problemas financeiros que o preocupam e influenciam diretamente no seu rendimento.  

Como identificar o absenteísmo no trabalho?

O absenteísmo pode ser difícil de ser identificado, mas não impossível.

Em primeiro lugar, é importante dar voz e saber ouvir os colaboradores para que eles se sintam a vontade de conversar caso estejam enfrentando algum problema.

Também é importante acompanhar os dados de horas trabalhadas e horas ausentes dos funcionários para ter a métrica e saber qual o índice de absenteísmo dentro da empresa.    

Qual o papel do RH 

O RH é o setor responsável por cuidar de toda a parte relacionada ao funcionário. Desde a contratação ao desligamento, mas também da manutenção e desenvolvimento dos profissionais.

Portanto, o RH tem papel direto na identificação do absenteísmo e na promoção de ações para diminuir os altos índices e combater os problemas na empresa. 

Como diminuir o absenteísmo?

Absenteísmo no trabalho é um problema complexo, que nunca vai deixar de existir. Porém, existem pequenas atitudes que podem ser tomadas para diminuir essas taxas. São elas: 

Com ações simples e totalmente executáveis pelo RH é possível diminuir o índice de absenteísmo no trabalho e melhorar os resultados da sua empresa. 

spot_img

Continue Aprendendo

spot_img